Blog Tecnológico

Revit vs SketchUp

Keila Kotaira • 08 jan 2016

Algumas pessoas, ultimamente,  têm demonstrado dúvidas diversas quanto ao uso direcionado, o fluxo de trabalho e as diferenças específicas entre os softwares SketchUp e Revit. Há críticas do tipo: “Por que ainda usamos o SketchUp se o Revit pode fazer tudo?”, “Por que fulano aqui no escritório faz todo o estudo e a edificação inteira dentro do SketchUp e depois refaz todo o trabalho de novo dentro do Revit?”, “Ter os dois não implica em retrabalho?”, “Se eu já sei trabalhar com o Revit, por que eu deveria aprender o SketchUp?”, “Trabalhar com os dois não é perda de tempo?”...

Para melhor compreendermos, precisamos primeiro entender as diferentes plataformas de software e seus recursos inerentes. O tema é um bocado polêmico, e é quase como iniciar uma discussão entre fãs de ‘Star Wars’ e ‘Star Trek’ (não, não é a mesma coisa!)… mas, vamos lá!

O SketchUp é um programa de desenho digital leve e ágil. A interface do usuário é extremamente simplista e direta. Quando o SketchUp foi inventado, os softwares de modelagem 3D eram muito complexos, pesados e lentos. Tudo no SketchUp foi projetado para ser intuitivo e rápido, de modo a não dar chance nenhuma de  atravancar a criatividade do usuário. Depois de apenas algumas horas de treinamento, a maioria dos designers, e até mesmo crianças com um mínimo de noção 3D, conseguirão operá-lo com extrema facilidade. Não estou desmerecendo este software. Pelo contrário, o SketchUp é ideal para a modelagem de um conceito, e permite estudar várias opções rapidamente. É uma ferramenta de desenho maravilhosa, pois permite ao criador pensar em algo e criar esse modelo tão rápido quanto ele consiga imaginar. Entretanto, em termos de colaboração em equipe e produtividade, o SketchUp está muito aquém, principalmente porque este software nunca foi projetado para esta finalidade em primeiro lugar. Com o LayOut, um software da mesma empresa, é possível criar pranchas de desenho muito boas. No entanto, comparado com outros softwares mais específicos, essa ferramenta não tem a profundidade e os recursos necessários para enfrentar um grande projeto, ou algo maior e mais complexo. É um software que ganhou muitos adeptos também por ter sido amplamente adotado no início quando foi distribuído gratuitamente pela Google. Hoje, após ter sido comprado pela Trimble, apesar de apresentar muito mais recursos na versão Pro, muitos ainda o utilizam de modo gratuito (o Sketchup Make, e o Sketchup 8, neste caso).

O Revit, por outro lado, foi concebido com o objetivo de abranger totalmente todos os aspectos do processo de produção BIM iniciando-se pelo BIM 3D, e consegue gerir as informações da construção com facilidade, coletando e organizando todo o fluxo de trabalho, permitindo inclusive a colaboração em equipe. Ele já nasceu com esta finalidade, e lhe permite fazer com facilidade quase tudo… exceto a concepção do design! Apesar de o Revit também permitir coisas maravilhosas nesse sentido com alguns estudos realizados com massas, infelizmente, o Revit simplesmente não é otimizado para esta função, porque não é de sua premissa ser um software de modelagem 3D, onde é possível ‘brincar’ com os volumes, e ele não possui ferramentas intuitivas para a modelagem de polígonos. Defensores do Revit (alguns destes, mais puristas e fanáticos que os ‘fanboys’ extremistas da Apple, você já deve ter cruzado com um...) poderão se defender dizendo que ele pode ser usado para as mesmas coisas que o SketchUp, com a vantagem adicional de se poder ir mais além, mas, na prática, o Revit não lida com o processo de modelagem da mesma forma, ele é bem mais complexo, e nessa fase de concepção de idéias ele não é tão ágil quanto.

Os dois softwares são extremamente bons, mas para finalidades bem diferentes. Fazendo uma analogia simplista, seria como fazer um comparativo entre um soldado de infantaria com um rifle, e um tanque de guerra com poder de fogo extremo. Ambos servem para ir ao campo de batalha por via terrestre, mas de maneiras muito diferentes, com estratégias muito diferentes, e com resultados muito específicos. Cada um tem certamente o seu devido  lugar, e quando eles trabalham juntos, os resultados podem ser devastadores. Da mesma forma, mesmo com especificidades tão diferentes, o Revit e o SketchUp estão no mesmo barco. Ambos possuem um lugar sólido no mundo dos projetos de construção, e quando usados corretamente, os resultados podem ser surpreendentes. Uma outra analogia fácil de se entender seria o uso de tablets versus o uso de computadores desktop. O tablet pode ser adorável e é uma ferramenta incrível para se encantar o cliente, mas não é tão eficiente quanto o desktop para se criar e gerir documentos.

Outra crítica comum ao SketchUp é que ele não é inteligente, e não têm um workflow tão otimizado quanto o trabalho realizado de modo correto no Revit, e por isso, não é um programa digno de ser levado à sério. Mas, sinceramente, desde quando o croquí, o esboço arquitetônico, seja ele manual ou digital, deve nascer ‘sério’ e diretamente obedecendo um workflow otimizado, categorizado e impecável? A maioria das pessoas comuns quando concebe uma idéia e estuda um conceito, não pensa sequer em layers ou categorias, ou a maneira viável, ou todas as funções possíveis, ou em sequer como essa idéia se tornará realidade em passo a passo. Sei que nem todos formandos gostam destes estudos preliminares e nem todos têm afinidade com a concepção, e neste caso acabam se especializando em outras áreas.  Mas arquitetos e designers estudam soluções projetuais, de arquitetura e de layout, durante anos. E faz parte de seu conhecimento acadêmico conceber e solucionar esses problemas criativos em primeira instância para só então, gastar um pouco mais de tempo nos detalhes legais e executivos deste projeto. Apesar da complexidade por vezes nos encantar, e nos motivar, é possível ter um resultado excelente e encantador de modo simples e mais veloz.

Falando de maneira um pouco mais pessoal, eu trabalho com os softwares da Autodesk há uma década e meia, e não estou desmerecendo tampouco esta marca pela qual eu admito que tenho um certo carinho. Mas ainda não há uma ferramenta na Autodesk que cubra de modo adequado as necessidades dessa fase “embrionária”, em que o desenho e a modelagem são esquemáticos e devem ocorrer de modo mais intuitivo, de modo a oferecer uma experiência mais lúdica, como ocorre em um desenvolvimento de trabalho dentro do SketchUp. E até que isso aconteça, gostem ou não, o modo de trabalho “híbrido” entre “SketchUp / Revit” ainda irá dominar uma boa parte dos bons escritórios, apesar de alguns, declaradamente ainda continuarem só com um software ou só com outro, por questões específicas e por vezes puramente financeiras. Ao invés de combater, discutir, brigar e tentar insistir que um ou outro deve prevalecer, o mais importante é encontrar uma forma viável em que o trabalho realizado nessas duas plataformas coexista, para que o trabalho em conjunto flua e traga bons resultados.

Segue abaixo um infográfico que eu produzi traduzindo de várias fontes, os principais prós e contras de cada software, segundo os usuários de ambos programas, bem como os seus comentários particulares:

info
infografico

Resumindo: O Revit possui a facilidade na criação de documentação e entregáveis, é um sotware robusto e abrangente, mas possui uma curva de aprendizado mais lenta. O Sketchup é intuitivo e extremamente simples, o que conta a favor principalmente na concepção do projeto, mas também conta como um contra por se tornar, às vezes, superficial demais. A usabilidade do SketchUp é grandemente expandida através de plugins, alguns gratuitos, e a maioria das pessoas que usa o SketchUp não o faz sem adicionar pelo menos um plugin ao software.

Vale lembrar que gerei este infográfico com base em fontes listadas na imagem acima. Nenhuma delas é nacional pois desconheço alguém que já tenha realizado uma pesquisa semelhante no Brasil até o momento em que redijo este artigo.

É um assunto por vezes explosivo, mas qual é a sua opinião? Gosta dos dois igualmente? Você sabe trabalhar em ambos mas prefere um deles somente? Conhece apenas um mas gostaria muito de aprender o outro? Qual é a sua posição?

Keila Kotaira

Arquiteta, com experiência internacional, e com certificação máxima da Autodesk, em AutoCAD e REVIT (incluindo MEP).

É instrutora da ENG desde 2015.

CONTATO